HOME

ESCRITÓRIO

EQUIPE

ATUAÇÃO DO ESCRITÓRIO

NOTÍCIAS

CONTATO

OUVIDORIA

RFB esclarece tributação sobre operação imobiliária

 

 

Por meio da Solução de Consulta nº 189/2018, a Receita Federal manifestou o seu entendimento sobre a operação de compra e venda de terreno seguida de confissão de dívida e promessa de dação em pagamento, com ou sem recebimento de torna, de unidade imobiliária a construir, realizada por empresa que apura o imposto sobre a renda com base no lucro presumido e que tenha como objeto social atividades relativas a loteamento de terrenos, incorporação imobiliária, construção de prédios destinados à venda, ou a venda de imóveis construídos ou adquiridos para a revenda.

 

Neste caso, a base de cálculo do IRPJ e da CSLL deve ser calculada mediante a aplicação do percentual de 8% (oito por cento) e 12% (doze por cento), respectivamente, sobre a receita bruta.

 

Ademais, para fins de IRPJ, CSLL, PIS e COFINS, constituem receita bruta tanto o valor do imóvel recebido em permuta, quanto o montante recebido a título de torna, no caso de permuta tendo por objeto unidades imobiliárias prontas ou a construir.

 

Neste sentido, o valor do imóvel recebido em permuta, seja unidade pronta ou a construir, é o valor discriminado no instrumento representativo da operação de permuta ou compra e venda de imóveis.

 

No caso de empresas que apuram o lucro presumido segundo o regime de Caixa, para que a aquisição dessas unidades imobiliárias reste configurada e, por conseguinte, para que a receita bruta correspondente seja realizada, para fins de incidência tributária, não é necessário que seja lavrada a escritura de dação em pagamento, bastando que a posse dessas unidades imobiliárias esteja amparada em contrato preexistente de promessa de dação em pagamento.

 

Por fim, para fins de apuração da base de cálculo do IRPJ e da CSLL pelo regime do lucro presumido, será aplicado o percentual de 8% (oito por cento) e 12% (doze por cento), respectivamente, às receitas de multa auferidas em razão de mora no cumprimento de obrigação contratual de entrega de unidades a serem construídas, desde que tais receitas não sejam estranhas ao objeto social de quem as aufere.

 

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Formas de Assinatura da Fatura Comercial

Formas de Assinatura da Fatura Comercial

A Receita Federal, por meio da Solução de Consulta COSIT nº 119/2021, publicada no dia 14 de setembro de 2021, esclareceu que o comando do inciso IV do art. 562 do RA/2009, que, em relação à fatura comercial, trata das formas de assinatura mecânica ou eletrônica,...

SP esclarece que não incide ISS sobre locação de bem móvel

SP esclarece que não incide ISS sobre locação de bem móvel

Por meio da Solução de Consulta SF/DEJUG nº 08/2021, o Diretor do Departamento de Tributação e Julgamento da Secretaria Municipal da Fazenda de São Paulo esclareceu que não incide ISS sobre a locação de bens móveis, sem fornecimento de operador, não sendo possível a...